Ontem(14/09) o presidente da ABRAT, participou do debate em Uberlândia (MG) sobre a Reforma Trabalhista. O presidente debateu sobre o assunto, aspectos do direito individual e terceirização.

A ABRAT esteve hoje (13/09) em reunião com o Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho no gabinete da Presidência do TRT2. Região, por meio de seu Presidente Roberto Parahyba de Arruda Pinto, e Diretores Luis Carlos Moro e Magnus Farkatt, debatendo questões de interesse da advocacia, tais como: - a gravação das sessões de julgamento no TRT/SP; - a inclusão no Regimento Interno do TRT da regra de que a sustentação oral deve ocorrer após o resumo do Voto do Relator, impossibilitada a antecipação do voto pela Turma, tal qual o TST; - a divisão da jurisdição em primeiro grau de jurisdição e a premente necessidade de reunificação; dentre outros temas de interesse da advocacia trabalhista paulista.

EM VITÓRIA ES - Abertura do III ENCONTRO DE DIREITO SINDICAL DA ABRAT. Presidente Roberto Parahyba de Arruda Pinto, abriu o encontro na noite de quinta-feira (17/08) teve a palestra do ex presidente do CF OAB - Cezar Britto.

Presidente da ABRAT Roberto Parahyba de Arruda Pinto , representando a entidade em Washington DC. Falando na encontro final do Comitê Internacional de advogados trabalhistas da National Advogados Guild.

O advogado Jorge Otávio Oliveira Lima , presidente da ABAT , indicado pela OAB /BA ao TRT5 , para integrar comissão concurso nacional da magistratura trabalhista. 

O Presidente Roberto Parahyba de Arruda Pinto visitou, o RN a convite da ANATRA para debater a lei 13.467/17 . Agenda intensa com entrevistas nas principais rádios da capital potiguar. 

A rede hipermercadista Walmart  assinou acordo judicial com o Ministério Público do Trabalho no Distrito Federal (MPT), representado pela procuradora Renata Coelho, comprometendo-se a conceder intervalo para alimentação com o mínimo de uma hora e no máximo duas, em caso de trabalho contínuo com duração superior a seis horas, e de 15  minutos quando a jornada for entre quatro e seis de trabalho.

O HSBC Bank Brasil S.A. Banco Múltiplo foi condenado a pagar R$ 475 mil em indenização por danos morais a um ex-bancário que se aposentou aos 31 anos, vítima de síndrome de burnout. A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho desconsiderou o argumento do banco de que o valor é “absolutamente exagerado” diante do caso, e negou provimento a seu recurso contra a condenação.

O juiz Camilo de Lelis Silva, em sua atuação na 1ª Vara do Trabalho de Ituiutaba-MG, concedeu indenização por danos morais a um trabalhador que foi destratado pelo chefe na frente de sua casa. Para o magistrado, o preposto da empresa excedeu em seu poder diretivo e disciplinar, ofendendo a honra e dignidade do trabalhador e gerando o direito à indenização por danos morais, que deve ser paga pela empresa.